Home Estatuto

Usários On-line

Nós temos 3 visitantes online

Campanhas

A ABENFO-PI é parceira:

 
PROENF: Materno-Infantil

 
Parto Normal está no meu Plano

 
Diga NÃO ao Ato Médico

Estatuto PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 6
PiorMelhor 


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE OBSTETRIZES E ENFERMEIROS OBSTETRAS
- ABENFO NACIONAL -


Alteração aprovada na Reunião do Conselho Diretor Nacional, realizada em 07/11/2004 durante o IV Congresso Brasileiro de Enfermagem Obstétrica e Neonatal – COBEON Águas de São Pedro - São Paulo

Capítulo I...........................................Da Definição
Capítulo II..........................................Das Finalidades
Capítulo III........................................ Da Afiliação
Capítulo IV........................................ Da Inscrição
Capítulo V......................................... Dos Direitos e Deveres dos Sócios
Capítulo VI........................................ Da Estrutura e Organização

Parte I – Do Conselho Diretor Nacional
Parte II – Da Diretoria Nacional
Parte III – Do Conselho Fiscal Nacional
Parte IV – Das Seções
Capítulo VII...................................... Das Eleições

Parte I – Dos Eleitores e Candidatos
Parte II – Do Processo Eleitoral
Parte III – Da Posse
Capitulo VIII.................................... Da Receita e do Patrimônio
Capitulo IX....................................... Das Disposições Gerais e Transitórias


CAPÍTULO I – DA DEFINIÇÃO

Art.1º - A Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras ABENFO Nacional, originária da Associação Brasileira de Obstetrizes-ABO, fundada em 04 de agosto de 1954, congrega obstetrizes, enfermeiras (os) obstetras e especialistas na área de Saúde da Mulher e do Recém-Nascido. É uma Entidade de direito privado, sem fins lucrativos, de caráter sócio-cultural, técnico-científico e político, sendo regida pelas disposições contidas neste Estatuto e Regimentos Especiais.

Art.2º - A ABENFO Nacional compõe-se de número ilimitado de sócios, admitidos nas Seções, sem discriminação de nacionalidade, etnia, cor, sexo, credo político e religioso.
Art.3º - A ABENFO Nacional tem vigência pôr tempo indeterminado, com sede e foro, na cidade do Rio de Janeiro, sito à Avenida Passos, nº 122 5ºandar sala 502. Centro. Rio de Janeiro/RJ. CEP 20051-040.


CAPÍTULO II - DAS FINALIDADES

Art.4º - A ABENFO Nacional tem como finalidades:
I - Congregar Obstetrizes, Enfermeiras (os) Obstetras, habilitadas ou especialistas na área da Saúde da Mulher e do Recém-Nascido para incentivar o espírito de união e solidariedade entre a categoria, promovendo a tomada de consciência sócio-política de seus integrantes;
II - Promover o desenvolvimento técnico-científico, cultural e profissional que favoreça o avanço da profissão;
III - Promover a articulação com as demais Entidades representativas da enfermagem e de áreas a fins, na defesa dos interesses da profissão;
IV - Realizar concurso público de provas é títulos para outorga do título de especialista na área de enfermagem obstétrica, de enfermagem neonatal e de enfermagem ginecológica, com base em Regimentos específicos para esse fim;
V - Realizar cursos de treinamentos para enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem que favoreçam a melhoria da assistência no pré-natal, parto e nascimento em particular e à saúde da mulher e do recém-nascido em geral;
VI - Apoiar o Programa Governamental sobre capacitação das parteiras leigas a fim de favorecer a qualidade da assistência ao parto e nascimento;
VII - Representar a enfermagem obstétrica e neonatal nos fóruns de entidade de áreas afins e de outras áreas de interesse;
VIII - Articular com outras Entidades do setor de saúde e dos trabalhadores em geral, mecanismos para a defesa de uma política de saúde que favoreça a assistência integral com qualidade à Saúde da Mulher e da Criança no contexto brasileiro;
IX - Participar efetivamente dos movimentos em defesa da cidadania e da questão de gênero;
X - Promover intercâmbio com outras associações nacionais e internacionais das áreas especificas e de áreas afins, face ao desenvolvimento profissional e cientifico;
XI - Oferecer consultoria técnica, quando solicitado, no planejamento de programas para o atendimento nas áreas de Saúde da Mulher, Materna e Neonatal;
XII - Instituir e manter obra filantrópica destinada à assistência dos associados idosos desvalidos ou necessitados de amparo;
XIII - Divulgar trabalhos e estudos de interesse para as áreas da Saúde da Mulher, Materna e Neonatal;
XIV - Promover eventos técnicos e científicos, em âmbito nacional e internacional, nas áreas da Saúde da Mulher, Materna e Neonatal;
XV - Manter um centro de informações científicas para fomentar estudos pertinentes à saúde da Mulher e Neonatal e à profissão;
XVI - Manter um órgão de publicação periódica para divulgação da pesquisa e do desenvolvimento técnico científico das áreas.


CAPITULO III - DA AFILIAÇÃO

Art.5º - A ABENFO Nacional é constituída de:
I - Sócio efetivo;
II - Sócio especial;
III - Membro honorífico.
Art 6 - Integram o quadro de sócios efetivos:
I - Obstetrizes e enfermeiros obstetras, habilitados ou especializados, e enfermeiros com especialização nas áreas de Neonatologia ou Saúde da Mulher, de acordo com a legislação vigente no País.
II - Obstetrizes e enfermeiras (os) obstetras graduados ou especializados e enfermeiras (os) com especialização nas áreas de neonatologia ou saúde da mulher e perinatal, de outros Países, cujos diplomas tenham sido revalidados no Brasil.

Art.7º - Integram o quadro de sócios especiais:
I - Enfermeiras (os) que atuam nas áreas da saúde da Mulher, Materna ou Neonatal;
II - Estudantes regularmente matriculados em cursos de graduação em enfermagem e pós-graduação nas áreas acima referidas, de acordo com a legislação vigente no País;
III - Parteiras cadastradas na Rede Nacional de Parteiras Tradicionais;
IV - Técnicos e Auxiliares de Enfermagem;
V - Sócios remidos.
Art.8º - Integram o quadro de membros honoríficos: (que recebem honras)
I - Beneméritos, aqueles membros que tenham prestado relevantes serviços ou feito doação de bens a ABENFO Nacional e aos quais a ABENFO Nacional resolver conferir este título;
II - Honorários, aqueles membros que tiverem contribuído de forma relevante à causa da enfermagem obstétrica e neonatal e aos quais a ABENFO Nacional resolver conferir este título.


CAPÍTULO IV – DA INSCRIÇÃO
Art.9º - A inscrição no quadro de sócios efetivos e especiais da ABENFO Nacional será feita através do preenchimento da ficha de inscrição, obedecendo ao que determinam os artigos 6 e 7.
Art.10º - No ato da inscrição será exigido pagamento da taxa, acrescida da anuidade correspondente, instituídas pela Seção.

Parágrafo 1º - Para inscrição como sócio efetivo será necessário a apresentação de um dos seguintes documentos:
I - Diploma de Obstetriz ou de Enfermeira (o) obstetra expedido ou revalidado no Brasil por instituição de ensino superior reconhecida;
II - Certificado de curso de habilitação ou especialização em enfermagem obstétrica, neonatal ou outra especialidade na área da saúde da mulher,
expedido por instituição de ensino superior reconhecida.
III - Certificado de especialista em enfermagem obstétrica, neonatal ou outra especialidade na área de Saúde da Mulher, expedido pela ABENFO Nacional, mediante a realização de Concurso de Provas e Títulos.

Parágrafo 2º - Para inscrição em qualquer dos quadros de sócio é necessário apresentação da inscrição do Quadro I do Conselho Regional de Enfermagem.
Parágrafo 3º - Para passar a sócio remido, condição atribuída ao sócio que deixa de exercer as atividades por aposentadoria, é necessária solicitação ao Presidente da Seção, para receber certificado, bem como isenção da taxa de anuidade.
Art.11 - O cancelamento da inscrição será feito mediante solicitação escrita do sócio ao Presidente da Seção ou por determinação da Diretoria, no caso de inadimplência por período de dois anos.


CAPÍTULO V - DOS DIREITOS E DEVERES DOS SÓCIOS

Art.12 - São direitos dos sócios efetivos, de acordo com a Lei 10.406/2002 Novo Código Civil:
I - Votar;
II - Ser votado;
III - Participar das discussões de assuntos de interesse da categoria, em reuniões e assembléias ou qualquer atividade da ABENFO Nacional em âmbito regional e nacional;
IV - Inscrever-se nos congressos e demais eventos técnico-científicos e culturais promovidos pela ABENFO Nacional e pelas entidades internacionais às quais a ABENFO Nacional seja filiada;
V - Receber orientação para defesa de seus direitos como sócio;

Parágrafo 1º - Os direitos contidos nos incisos I, III, IV e V se aplicam igualmente aos sócios especiais.
Parágrafo 2º - Os direitos contidos nestes incisos somente serão exercidos pelos
sócios quites com a ABENFO Nacional .

Art.13 - São direitos dos membros honoríficos, de acordo com a Lei 10.406/2002 Novo Código Civil:
I - Receber o titulo em ato solene de âmbito nacional;
II - Participar dos eventos promovidos pela ABENFO Nacional.

Art. 14 - São deveres dos sócios efetivos e especiais de acordo com a Lei 10.406/2002 Novo Código Civil:
I - Participar efetivamente das atividades da ABENFO Nacional e trabalhar para o seu desenvolvimento;
II - Pagar regularmente a anuidade da ABENFO Nacional;
III - Incentivar o espírito de união e solidariedade entre os membros da categoria;
IV - Zelar pelo prestígio da ABENFO Nacional e da profissão;
V - Cumprir e fazer cumprir as disposições deste Estatuto e dos Regimentos especiais.

Art.15 - São deveres dos Membros Beneméritos e Honoríficos zelar pelo prestígio da ABENFO Nacional e da profissão de acordo com a Lei 10.406/2002 Novo Código Civil:.


CAPITULO VI – DA ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO

Art.16 - A ABENFO Nacional é constituída pelos seguintes órgãos, com jurisdição nacional:
I - Conselho Diretor Nacional;
II - Diretor Nacional;
III - Conselho Fiscal Nacional.

Art. 17 - A ABENFO Nacional é constituída por Seções, com jurisdição Estadualou Interestadual, composta pelos seguintes órgãos:
I - Assembléia Secional;
II - Diretoria Secional;
III - Conselho Fiscal Secional.
Art.18 - As finalidades da ABENFO Nacional serão desenvolvidas pelos órgãos nacionais e seccionais.

Art. 19 - As Seções deverão elaborar Regimentos Especiais de funcionamento, em consonância com as disposições deste Estatuto.

Parágrafo 1º - As Seções atenderão, nos seus planos de trabalho, às Diretrizes emanadas dos órgãos nacionais da ABENFO Nacional.

Parágrafo 2º - As Seções poderão manter órgãos próprios de divulgação de suas atividades.


PARTE I - DO CONSELHO DIRETOR NACIONAL
Art.20 - o Conselho Diretor Nacional é o órgão máximo de deliberação da associação e responsável pelo cumprimento das finalidades da ABENFO Nacional.
Art. 21 - O Conselho Diretor Nacional é constituído de delegados natos e delegados seccionais.

Parágrafo 1º - São delegados natos:
I - Membros da Diretoria Nacional;
II - Presidentes das Seções.
Parágrafo 2º - Os delegados secionais são sócios eleitos nas Assembléias nas
respectivas Seções, com mandato e um ano, ma proporção de 01 (um) delegado por Seção mais a proporção a seguir, para cada Seção:
I - De 100 (CEM) a 199 (CENTO E NOVENTA E NOVE) sócios = 01 (UM) delegado;
II - De 200 (DUZENTOS) ou mais sócios = 02 (DOIS) delegados.

Art.22 - O Conselho Diretor Nacional poderá ter a participação de convidados a critério das Diretorias, Nacional e Seccionais, para contribuir em suas reuniões.

Art.23 - As competências do Conselho Diretor Nacional são:
I - Deliberar sobre as questões de interesse da profissão, assegurando a implementação dos objetivos da ABENFO Nacional estabelecidos neste Estatuto;
II - Discutir e votar o plano de trabalho e o relatório final anual da Diretoria;
III - Discutir e votar a proposta orçamentária anual apresentada pela Diretoria e aprovar as contas da tesouraria;
IV - Determinar anualmente o “per capta” de 10% a ser pago pelas Seções.
V - Autorizar a alienação dos bens imóveis e do patrimônio da ABENFO Nacional, quando alienáveis;
VI - Eleger os membros da Comissão Nacional Eleitoral e seu respectivo Coordenador, aprovar o calendário eleitoral, homologar o resultado das eleições em nível nacional e empossar a Diretoria Nacional e o Conselho Fiscal Nacional;
VII - Modificar o Estatuto da ABENFO Nacional e zelar pelo cumprimento do mesmo;
VIII - Homologar a criação e extinção de Seções da ABENFO Nacional;
IX - Determinar a época e o local dos Eventos Nacionais e Internacionais programados pela ABENFO Nacional;
X - Aprovar a indicação de membros beneméritos e honorários da ABENFO Nacional;
XI - Aprovar o regimento interno do Conselho.


PARTE II - DA DIRETORIA NACIONAL

Art. 24 – A Diretoria, órgão executivo do Conselho Diretor Nacional e de Administração da ABENFO Nacional, compor-se-á de 09 (NOVE) membros, eleitos em escrutínio secreto, para o exercício dos seguintes cargos:
I - PRESIDENTE
II - VICE-PRESIDENTE
III - 1º SECRETÁRIO
IV - 2º SECRETÁRIO
V - 1º TESOUREIRO
VI - 2º TESOUREIRO
VII - COORDENADOR DA COMISSÃO PERMANENTE DE EDUCAÇÃO, SERVIÇO E LEGISLAÇÃO;
VIII - COORDENADOR DA COMISSÃO PERMANENTE DE ESTUDOS E PESQUISAS;
IX - COORDENADOR DA COMISSÃO PERMANENTE DE PUBLICAÇÕES E DIVULGAÇÃO.

Parágrafo Único - Os cargos da Diretoria Nacional são eletivos e não remunerados.

Art. 25 - São atribuições da diretoria Nacional, além da responsabilidade pela consecução dos fins da ABENFO Nacional:
I - Cumprir e fazer cumprir o presente Estatuto, os Regimentos Especiais e determinações do Conselho Diretor Nacional;
II - Aplicar a política de trabalho da ABENFO Nacional;
III - Elaborar o plano global e aprovar os planos anuais de trabalho a serem submetidos à aprovação do Conselho Diretor Nacional;
IV - Representar a enfermagem obstétrica, neonatal e ginecológica, Nacional e Internacionalmente ou indicar quem as represente;
V - Propor ao Conselho Diretor Nacional, o local e a época dos eventos técnico-científicos e culturais;
VI - Constituir comissões especiais e aprovar seus relatórios;
VII - Aprovar os relatórios das Comissões Permanentes;
VIII - Elaborar o orçamento da ABENFO Nacional para cada exercício;
IX - Apresentar ao Conselho Diretor Nacional as indicações feitas pela própria Diretoria Nacional ou Secional para outorgar título de membro
honorífico da ABENFO Nacional;
X - Constituir comissão de sindicância para apurar responsabilidade nos casos de denuncia de prejuízos econômicos financeiros para ABENFO
Nacional, promovendo, se necessário, ação penal ou cível;
XI - Publicar as resoluções do Conselho Diretor Nacional no órgão de publicação periódica oficial da ABENFO Nacional;
XII - Propor ao Conselho Diretor Nacional o calendário das eleições e proclamar os resultados;
XIII - Deliberar nos casos omissos ou urgentes, “ad. referendum” do Conselho Diretor Nacional.

Art. 26 - A Diretoria Nacional reunir-se-á, ordinariamente, uma vez pôr semestre, e extraordinariamente, quando convocada pelo Presidente ou pela maioria absoluta de seus membros.

Parágrafo 1º - As reuniões da Diretoria serão realizadas, em primeira convocação com a maioria absoluta de seus membros e, em segunda convocação, meia hora depois, com pelo menos 03 (três) membros presentes.

Parágrafo 2º - As deliberações da Diretoria serão tomadas por maioria absoluta de votos, cabendo ao presidente o voto de qualidade em caso de empate.
Parágrafo 3º - Os membros da Diretoria que faltarem a 2 (duas) reuniões ordinárias consecutivas ou a 04 (quatro) alternadas, durante o mandato, sem causa justificada, serão considerados renunciantes, a critério da Diretoria.

Art.27 - O mandato da Diretoria Nacional será de 03 (três) anos, podendo seus membros, individualmente, serem reeleitos para mais um mandato.

Art.28 - São atribuições do Presidente:
I - Promover e coordenar as atividades da ABENFO Nacional de modo que seus fins sejam atingidos;
II - Convocar e presidir reuniões, sessões, assembléias, congressos e seminários de caráter Nacional;
III - Definir a agenda para as reuniões e assembléias;
IV - Representar a ABENFO Nacional ativa, passiva, judicialmente e extrajudicialmente, podendo constituir representantes legais;
V - Autorizar despesas urgentes, emitir cheques com o 1º Tesoureiro e visar todas as contas financeiras da ABENFO Nacional;
VI - Exercer o direito de voto de qualidade;
VII - Apresentar anualmente o relatório das atividades da Diretoria ao Conselho Diretor Nacional;
VIII - Presidir o Conselho Diretor Nacional;
IX - Convocar ordinariamente 01 (uma) vez pôr semestre o Conselho Diretor Nacional, e extraordinariamente quando necessário, e garantir o direito de convocação do Conselho por petição escrita de pelo menos 1/3 dos sócios efetivos de pelo menos 1/3 das Seções da ABENFO Nacional.

Parágrafo Único - O limite das despesas a serem feitas pelo presidente que dispense aprovação da Diretoria Nacional será determinado no Regimento Interno da Diretoria.

Art.29 - São atribuições do Vice-Presidente: substituir o Presidente em seus impedimentos e ausências e por delegação de competência, e auxiliá-lo em seus trabalhos.

Art. 30 - São atribuições do 1º Secretário:
I - Redigir as atas das reuniões do Conselho Diretor Nacional e da Diretoria Nacional e controlar o seu registro, quando indicado;
II - Colaborar com o Presidente na elaboração de planos de trabalho e relatórios;
III - Convocar, no caso de faltarem o Presidente e o Vice-Presidente, por morte ou renúncia, o Conselho Diretor Nacional para determinar a realização de eleições para preenchimento dos cargos vagos, em qualquer período de mandato;
IV - Entregar, dentro de trinta dias após a posse da nova diretoria, os livros e documentos que estejam sob sua responsabilidade.
Art. 31 - São atribuições do 2° Secretário:
I - Substituir o 1° Secretário em seus impedimentos e ausências ou por delegação de competência:
II- Responsabilizar-se pelo cadastro de sócios
III- Auxiliar o 1° Secretário em seus trabalhos.
Art. 32 - São atribuições do 1° Tesoureiro:
I- Responsabilizar-se juridicamente, perante a Diretoria Nacional da ABENFO Nacional, pelos valores e importância que lhe forem confiados;
II- Receber dinheiro, valores e qualquer tipo de legado destinado à ABENFO Nacional;
III- Realizar despesas autorizadas pelo Presidente e pela Diretoria;
IV- Preparar o balancete mensal do movimento financeiro;
V- Controlar o número de sócios da ABENFO Nacional e o pagamento “per capita”;
VI- Preparar o balanço financeiro e patrimonial da ABENFO Nacional;
VII- Preparar com o presidente, a declaração de Imposto de Renda;
VIII- Apresentar ao Conselho Fiscal Nacional para a aprovação, os balancetes e balanços, com a respectiva documentação original;
IX- Apresentar ao Conselho Diretor Nacional relatório anual da Tesouraria, contendo o balanço financeiro e patrimonial aprovado pelo Conselho Fiscal;
X- Apresentar, nas reuniões da Diretoria, o balancete do movimento financeiro do período;
XI- Depositar valores e importâncias da ABENFO Nacional em estabelecimentos bancários indicados pela Diretoria Nacional;
XII- Emitir cheques com o Presidente;
XIII- Publicar o Plano de Aplicação Orçamentária e o Balanço Financeiro e patrimonial anual no órgão de publicação periódica oficial da ABENFO
Nacional;
XIV- Entregar ao novo Tesoureiro, no prazo de dez dias após a posse, os bens, documentos e livros sob sua responsabilidade.
Art. 33 - São atribuições do 2° Tesoureiro:
I - Substituir o 1° Tesoureiro em seus impedimentos e ausências e auxiliá-lo em suas atribuições;
II- Coordenar as atividades de finanças e captação de recursos para a ABENFO Nacional;
III- Participar com o 2° Secretário da organização do sistema de Cadastro de Sócios.
Art. 34 - As Comissões Permanentes são responsáveis pela execução da Política Científica e Cultural da ABENFO Nacional.
Art. 35 - As Comissões Permanentes poderão criar tantas subcomissões quantas forem necessárias à consecução de seus objetivos.
Art. 36 - Compete ao Coordenador de cada Comissão Permanente organizar o processo de escolha, entre os sócios, dos responsáveis de cada subcomissão.
Art. 37 - As normas de funcionamento das Comissões Permanentes serão definidas em Regimento especial.
Art. 38 - As Comissões Permanentes deverão assessorar as respectivas Comissões das Seções.
Art. 39 - Os Coordenadores das Comissões Permanentes deverão apresentar,em reunião da Diretoria Nacional, o plano global, os programas de trabalho e os respectivos relatórios.
Art. 40 - A Comissão Permanente de Educação, Serviços e Legislação destina-se a promover atividades científico-culturais nas áreas de ensino e assistência da Saúde da Mulher, Materna e Neonatal, bem como a analisar e acompanhar projetos de lei relativos à Categoria, desencadeando mecanismos de defesa dos interesses da profissão.
Art. 41 - A comissão Permanente de estudos e Pesquisas é o órgão da ABENFO Nacional destinado a incentivar e divulgar os estudos pertinentes à Saúde da Mulher, Materna e Neonatal e a implementar e manter o acervo histórico da ABENFO Nacional e da Profissão.
Art. 42 - A Comissão Permanente de Publicação e Divulgação é a responsável pela publicação da Revista e do Boletim Informativo (BI) da Associação.
Art. 43 - A Revista e o BI são órgãos de divulgação oficiais da ABENFO Nacional.
Art. 44 - Problemas específicos serão estudados pôr comissões especiais indicadas pela Diretoria Nacional e desfeitas ao término de seu trabalho, com a apresentação de relatório de atividades.


PARTE III - DO CONSELHO FISCAL

Art. 45 - O Conselho Fiscal será composto de 03 (três) membros, eleitos juntamente com a Diretoria, com mandato de 03 (três) anos, podendo seus membros serem reeleitos individualmente para mais um mandato.
Art. 46 - Ao Conselho Fiscal compete:
I - Fiscalizar a administração econômica, financeira e patrimonial da ABENFO Nacional;
II - Emitir parecer sobre balancetes e balanços financeiros e patrimoniais da ABENFO Nacional;
III - Controlar o patrimônio e o acervo histórico da ABENFO Nacional
IV - Solicitar assessoria jurídica e financeira, quando necessário.
Art. 47 - O Conselho Fiscal reunir-se-á ordinariamente para apreciação dos balancetes e balanços, antes de cada reunião da Diretoria, e extraordinariamente, quando julgar necessário.
Art. 48 - Os cargos do Conselho Fiscal são eletivos e não remunerados.


PARTE IV - DAS SEÇÕES

Art. 49 - A ABENFO Nacional é constituída pôr Seções que congregam Obstetrizes e Enfermeiras (os) obstetras, neonatologistas e especialistas na área de Saúde da Mulher e do Recém- Nascido, com jurisdição em um ou mais Estados da Federação.
Parágrafo 1° - As Seções são vinculadas diretamente à ABENFO Nacional.

Parágrafo 2° - As Seções são constituídas com autorização do Conselho Diretor Nacional, mediante petição assinada pôr, no mínimo, 30 (trinta) profissionais residentes no (s) Estado (s) sob sua jurisdição, encaminhada à Diretoria Nacional.
Parágrafo 3° - As Seções serão identificadas pelo nome ou sigla da Associação seguida do (os) Estado (s) da Federação.
Art. 50 - As Seções da ABENFO Nacional são constituídas de:
I-Assembléia Secional;
II- Diretoria Secional;
III- Conselho Fiscal Secional.
Art. 51 - A Assembléia Secional é o órgão máximo de deliberação em nível de Seção e é constituída de todos os sócios inscritos diretamente na Seção.
Art. 52 - A Assembléia Secional será presidida pelo Presidente da Seção, assessorado pelos membros da sua Diretoria.
Art. 53 - A Assembléia Secional reunir-se-á em sessão ordinária, pôr convocação do Presidente, uma vez pôr semestre, no mínimo, e extraordinariamente, pôr convocação do Presidente, ou pôr petição escrita e assinada pôr pelo menos 1/3 dos sócios da Seção.
Art. 54 - As sessões da assembléia secional serão instaladas, em primeira convocação, com a maioria absoluta de seus membros e, em Segunda convocação, meia hora após, com qualquer número.

Parágrafo 1° - As decisões da Assembléia Secional serão tomadas pelo voto da maioria absoluta (50% + 1) dos presentes.

Parágrafo 2° - Cada sócio inclusive os membros da Diretoria e do Conselho Fiscal, terá direito a um voto, não sendo permitida a delegação de voto.

Art. 55 - A Diretoria Seccional, órgão executivo e de Administração da ABENFO Nacional Regional compor-se-á de 09 (nove) membros, eleitos em escrutínio secreto, para o exercício dos seguintes cargos:
I- PRESIDENTE;
II- VICE-PRESIDENTE;
III- 1° SECRETÁRIO;
IV- 2° SECRETÁRIO;
V- 1° TESOUREIRO;
VI- 2° TESOUREIRO;
VII- COORDENADOR DA COMISSÃO SECIONAL DE EDUCAÇÃO SERVIÇO E LEGISLAÇÃO;
VIII- COORDENADOR DA COMISSÃO SECIONAL DE ESTUDOS E PESQUISA;
IX- COORDENADOR DA COMISSÃO SECIONAL DE PUBLICAÇÕES E DIVULGAÇÃO.
Art. 56 - As Seções terão sede nas Capitais dos estados, e em caso de jurisdição Interestadual, na Capital do Estado que congregar o maior número de associados.


CAPÍTULO VII- DAS ELEIÇÕES

PARTE I - DOS ELEITORES E CANDIDATOS
Art. 57 - Terão direito a exercer o voto os sócios da ABENFO Nacional inscritos e quites com a tesouraria.

Parágrafo Único - No ato da votação será exigida a devida prova de quitação com a tesouraria.

Art. 58 - São condições de elegibilidade ser membro efetivo da ABENFO Nacional em situação regular com a tesouraria:
I- Para candidatos à Diretoria Nacional e Conselho Fiscal Nacional, há pelo menos um ano;
II- Para candidatos à Diretoria Secional e Conselho Fiscal Secional, até a data da inscrição da chapa.


PARTE II - DO PROCESSO ELEITORAL

Art. 59 - O processo eleitoral é constituído de três etapas:
I-Inscrição, verificação de elegibilidade e divulgação das chapas inscritas;
II- Organização e realização do Pleito Eleitoral;
III- Escrutinação dos votos, elaboração dos respectivos mapas de apuração e divulgação dos resultados.
Art. 60 - Serão constituídas Comissões Especiais de Eleições em nível nacional e regional, eleitas respectivamente pelo Conselho Diretor Nacional e Assembléia secional, para coordenar o Processo Eleitoral.
Art. 61 - As Comissões de Eleições de que trata o artigo anterior serão compostas de no mínimo 03 (três) membros.

Parágrafo 1° - Compete as Comissões de Eleições elaborar e divulgar o calendário eleitoral e as orientações normativas, bem como tornar público as chapas concorrentes, os procedimentos, os locais, as datas e os horários de votação, através do órgão de publicação periódica oficial da ABENFO Nacional e da correspondência a todos os sócios.

Parágrafo 2° - Cabe às Comissões de Eleições Secionais realizar a escrutinação dos votos, elaborar os mapas de apuração, a ata e o relatório da eleição, enviando-o à Comissão Nacional de Eleições, no prazo máximo de 48 horas (quarenta e oito) após encerrado o pleito.

Art. 62 - As chapas deverão ser organizadas livremente e inscritas na Comissão de Eleição no respectivo nível, mediante requerimento subscrito pôr um membro da chapa, no prazo de 90 (noventa) dias antes da realização do pleito eleitoral.

Parágrafo 1° - As chapas de que trata o presente artigo não poderão conter o mesmo nome para mais de um cargo, ou em mais de uma chapa.
Parágrafo 2° - No ato da inscrição da chapa, os candidatos deverão apresentar:
I- Curriculum Vitae;
II- Declaração da Seção, para efeito de comprovação das exigências contidas no art.59;
III- Declaração de que concorda concorrer na chapa.
Art. 63 - As Comissões de Eleições deverão receber as inscrições das chapas no seu nível de competência, verificar a elegibilidade e divulgá-las no prazo máximo de 60 (sessenta) dias antes do pleito.

Parágrafo Único - No caso de impugnação de chapas ou de nomes de candidatos, estes deverão ser substituídos no prazo de 10 (dez) dias.
Art. 64 - Os membros da Diretoria e do Conselho Fiscal da ABENFO Nacional e Seccionais serão eleitos em pleito direto, realizado nas Seções em data única, previamente fixada no calendário eleitoral, mediante voto pessoal e secreto.

Parágrafo 1° - A votação será pôr chapa em nível Nacional e Secional, sem vinculação para fins de voto.

Parágrafo 2° - O sufrágio será em urnas fixas, podendo contar também com urnas volantes, em locais e segundo itinerários estabelecidos pelas Comissões Secionais de Eleições.

Parágrafo 3° - Será garantida a instalação de urnas em todos os Estados onde existirem Seções.

Parágrafo 4° - Será permitido o voto por correspondência com aviso de recebimento desde que conste respectiva comprovação de inscrição e quitação da anuidade do sócio.
Art. 65 - Compete as Comissões de Eleições Nacional e Secionais resolver as questões pendentes, argüições e questionamentos feitos em qualquer fase do processo eleitoral e os casos de impugnação, cabendo às instâncias superiores da ABENFO Nacional.
Art. 66 - As demais normas de procedimento eleitoral serão objeto de Regimento Especial.
Art. 67 - O não cumprimento dos dispositivos do processo eleitoral deste Estatuto e do Regimento Especial implicará impugnação.
Art.68 - Será garantido o direito de fiscalização pelas chapas concorrentes em todas as etapas do processo eleitoral.

Parágrafo 1° - Cada chapa pode designar 1 (um) fiscal para cada local de votação e de apuração dos resultados, desde que envie as credenciais para a Comissão de Eleições.

Parágrafo 2° - Os membros da comissão de Eleição não serão elegíveis e não poderão atuar como fiscais.

Parágrafo 3° - Os membros das chapas são fiscais natos.

Art. 69 - A Comissão de Eleições em nível Nacional, após analisar os documentos recebidos das Seções, elaborará o mapa com os resultados da votação e seu relatório final, enviando-o à diretoria Nacional.

Parágrafo 1° - Em caso de empate ou anulação, o Conselho Diretor Nacional e a Assembléia Secional, conforme o caso, em convocação extraordinária, elegerá uma Diretoria Provisória.
Parágrafo 2° - As novas eleições deverão ser realizadas no prazo máximo de 90 (noventa) dias.
Art. 70 - A Comissão de Eleições Nacional homologará e divulgará o resultado ao Pleito em todo País.


PARTE III - DA POSSE

Art. 71 - A Diretoria Nacional da ABENFO NACIONAL será empossada pelo Conselho Diretor Nacional.
Art. 72 - As Diretorias das Seções serão empossadas pela Assembléia Seccional.


CAPÍTULO VIII - DA RECEITA E DO PATRIMÔNIO

Art. 73 - O patrimônio da ABENFO NACIONAL é constituído pôr:
I -Anuidades;
II - Receitas dos Congressos e outros eventos;
III - Receitas provenientes de contratos ou convênios científico-culturais;
IV - Subvenções, doações e legados;
V - Bens móveis e imóveis;
VI - Acervo histórico da profissão e da ABENFO NACIONAL;
VII - Fundos especiais.
Art. 74 - A diretoria é responsável pôr todos os bens patrimoniais da ABENFO Nacional

Parágrafo 1° - As seções deverão submeter os projetos de disposições de bens patrimoniais ao julgamento da Diretoria e do Conselho Diretor Nacional.

Parágrafo 2° - Os atos de Lesão ao Patrimônio serão objetos de processo administrativo, julgados pela Diretoria e pelo Conselho Diretor Nacional e, quando necessário, encaminhados à Justiça Comum.

Art. 75 -Os membros da Diretoria não respondem, pessoal ou subsidiariamente pelas obrigações sociais da ABENFO Nacional.
Art.76 - Os recursos financeiros da ABENFO Nacional serão destinados a ações que visem atingir as finalidades constantes no Capítulo II deste Estatuto.
Art. 77 - Os bens imóveis da ABENFO Nacional poderão ser alienados em casos especiais, para benefícios da própria Associação, devendo a alienação dos bens imóveis ser autorizada pelo Conselho Diretor Nacional.
Art. 78 - O acervo histórico da Profissão e da ABENFO Nacional são inalienáveis.
Art. 79 - Em caso de dissolução da ABENFO Nacional, os bens patrimoniais da Associação serão integralmente destinados à Associação Brasileira de Enfermagem- ABEN Nacional.


CAPÍTULO IX- DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS

Art. 80 - Fica assegurada a representação, no Conselho Diretor Nacional, de um membro de cada Estado, até que seja instalada a respectiva Seção Estadual ou Interestadual.

Parágrafo Único- O representante, sócio da ABENFO Nacional, será escolhido para mandato de um ano, em reunião organizada pelos sócios de cada Estado.

Art. 81 - Todos os enfermeiros que se associaram, até 11 de julho de 1994, data da aprovação do primeiro Estatuto, têm garantida a condição de sócio efetivo.
Art. 82 - Será constituída Comissão Especial para assessorar a Comissão Permanente de Educação, Serviço e Legislação na elaboração de critérios de análise da titulação de especialista em enfermagem em Saúde da Mulher, Materna e Neonatal.

Parágrafo 1° - A comissão especial será constituída pelas coordenadoras da Comissão Permanente em nível Nacional e Secional, e pôr enfermeiros indicados pela Diretoria Nacional e Seções.

Parágrafo 2° - Os critérios para titulação deverão estar em consonância com a legislação do ensino e a normatização do Conselho Federal de Enfermagem.

Art. 83- A ABENFO Nacional deverá realizar Congressos, Jornadas ou Seminários em âmbito Nacional ou Regional, pelo menos a cada 03 (três) anos, para discussão dos problemas profissionais nos campos de ensino, pesquisa e exercício da enfermagem nas áreas da Saúde da Mulher, Materna e Neonatal.
Art. 84- A ABENFO Nacional deverá realizar, anualmente, atividades comemorativas em 12 de abril, DIA DA OBSTETRIZ.
Art. 85- A ABENFO Nacional poderá ser filiada a órgãos Internacionais, cabendo à Diretoria Nacional manter o intercâmbio necessário à manutenção desses vínculos associativos.
Art. 86- Além deste Estatuto, a ABENFO Nacional terá tantos Regimentos Especiais quantos forem necessários para dar maior funcionalidade à organização, visando alcançar os fins a que se propõe.
Art. 87- Para a dissolução da ABENFO Nacional serão observados os seguintes procedimentos:
I- Convocação extraordinária do Conselho Diretor Nacional;;
II- Participação de pelo menos 2/3 dos membros dos conselhos , na reunião referida no inciso anterior;
III- Voto dos Presidentes das Seções deliberado pela maioria absoluta dos Membros das Assembléias Secionais realizadas nas Seções.
Art. 88- As disposições contidas neste Estatuto aplicam-se, no que couber, às Seções.
Art. 89- Os casos omissos serão resolvidos pela Diretoria ou pelo Conselho Diretor Nacional.
Art. 90 - O presente Estatuto entra em vigor na data de sua aprovação pela Reunião do Conselho Diretor, ficando para todos os efeitos de direitos, revogados os Estatutos anteriores e quaisquer outras disposições em contrário.

Águas de São Pedro, 07 de novembro de 2004

ROSÂNGELA DA SILVA SANTOS
Presidente da ABENFO-Nacional – Gestão 2003-2005

 

Vídeos

Filme IV ENONEPI

Clique na imagem para tocar

 
Programa Bem Viver (p01)

Clique na imagem para tocar

 
Programa Bem Viver (p02)

Clique na imagem para tocar

 
Programa Bem Viver (p03)

Clique na imagem para tocar

 
Programa Bem Viver (p04)

Clique na imagem para tocar

 
Programa Bem Viver (p05)

Clique na imagem para tocar

 
Programa Bem Viver (p06)

Clique na imagem para tocar

 
PI TV-TV Clube

Clique na imagem para tocar

 
Notícia da Manhã

Clique na imagem para tocar

 
Jornal Agora

Clique na imagem para tocar

Mais Vídeos

Todos os videos...