Home Notícias

Usários On-line

Nós temos 7 visitantes online

Campanhas

A ABENFO-PI é parceira:

 
PROENF: Materno-Infantil

 
Parto Normal está no meu Plano

 
Diga NÃO ao Ato Médico

Notícias
Registro do Título de Especialista PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 6
PiorMelhor 
Dom, 23 de Dezembro de 2012 14:09

O Cofen tornou obrigatório o registro do Título de Especialista para Enfermeiras Obstétricas que atuem em Salas de Parto


O Conselho Federal de Enfermagem (COFEN), por meio do Grupo de Trabalho em Saúde da Mulher, em parceria com a Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras (ABENFO), vem destacando o trabalho desenvolvido por enfermeiros que atuam em maternidades. A ideia é conscientizar sobre a importância do registro do título de especialista em enfermagem obstétrica e áreas correlatas.
O Grupo de Trabalho em Saúde da Mulher do Cofen ressalta que o principal desafio é identificar onde estão e como atuam as enfermeiras obstétricas. Essa informação é essencial para a implementação de centros de parto normal e para identificar os locais com maior demanda de formação de enfermeiras especializadas.
Para efetivarem o registro do título de Enfermeiro Especialista em Enfermagem Obstétrica, as enfermeiras obstétricas e responsáveis técnicas de maternidade podem procurar o Conselho Regional de Enfermagem (COREN) de sua região.
O Cofen, com o intuito de incentivar os profissionais, tornou obrigatório o registro do título de especialista para enfermeiras obstétricas que atuem em salas de parto, e determinou que os Conselhos Regionais isentem de pagamento de taxa para o registro do título. Pretende-se, com isso, garantir que a prática da enfermeira obstétrica seja autônoma, altamente qualificada e legalmente amparada.
Fonte: PortalCofen

 
Inscrições para Residência PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 9
PiorMelhor 
Qua, 19 de Dezembro de 2012 22:33


Documentos necessários para inscrição na Seleção para
Residência em Enfermagem Obstétrica.

1. Edital Completo

2. Ficha de Inscrição ATENÇÃO: A inscrição definitiva no COREN só será exigida no momento da matrícula na Residência. Dessa forma, se o candidato ainda não possuir inscrição no COREN, basta deixar o campo correspondente em branco.

3. Anexo I - Cronograma de Execução

4. Anexo III - Critérios de Avaliação Prova Prática

5. Anexo IV - Tabela de Pontuação de Prova de Análise Currículo

6. Anexo V - Termo de Compromisso com Dedicação Exclusiva à Residência

Qualque dúvida, entrem em contato pelo Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .

 
Residência em Enfermagem Obstétrica PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 3
PiorMelhor 
Ter, 18 de Dezembro de 2012 02:55

A Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras - ABENFO Seção Piauí e a Universidade Federal do Piauí - UFPI, por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação e da Coordenação do Programa de Residência em Área Profissional de Saúde - Enfermagem Obstetrícia, tornam pública a abertura de inscrições para a seleção de candidatos ao preenchimento de oito vagas no Programa para ingresso em 2013.

O curso terá a carga horária de 5.760 horas, com 60 horas semanais e requer DEDICAÇÃO EXCLUSIVA, não podendo o residente desenvolver outras atividades profissionais no período de realização da residência.

A solicitação da inscrição será efetuada exclusivamente pela internet, no endereço www.abenfopi.com.br, a partir das 9h do dia 19 de dezembro até as 23:59 do dia 10 de janeiro de 2013, observado o horário local. Clique para ver o Edital.

 
Cursos FioCruz PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 
Seg, 17 de Dezembro de 2012 01:05

A ABENFO-PI informa que estão abertas as inscrições para a seleção de alunos para os Cursos de Aperfeiçoamento e Atualização em Vigilância do Óbito Materno, Infantil e Fetal e Atuação em Comitês de Mortalidade, coordenado pela Fundação Oswaldo Cruz em parceria com o Ministério da Saúde.

Os cursos integram o Programa de |Formação em Vigilância do Óbito Materno, Infantil e Fetal na modalidade à distância. Foram concebidos dentro do contexto da redução da mortalidade materna, infantil e fetal, como uma das metas prioritárias pactuadas entre as diferentes esferas de governo, assim como da necessidade de ampliar a participação de importantes segmentos da sociedade no controle social do SUS, por meio da atuação em comitês de mortalidade.

Para atender aos diferentes objetivos os cursos foram desenvolvidos com cargas horárias e populações alvo distintas. O curso de aperfeiçoamento é dirigido para profissionais e gestores de saúde; e o de atualização para membros dos Comitês de Mortalidade materna, infantil e fetal; bem como representantes das instituições (governamentais, formadoras, conselhos profissionais, conselhos de saúde) e sociedade civil organizada, relacionadas ao tema; defensores públicos e membros do Ministério Público.

Para a primeira turma, com início previsto para fevereiro de 2013, serão oferecidas 2.250 vagas, sendo 70% destas destinadas às Regiões Nordeste e Amazônia Legal.

Mais informações sobre os cursos estão disponíveis no www.ead.fiocruz.br

Os editais para a seleção dos cursos estão nos seguintes endereços:

•Atualização: http://www.ead.fiocruz.br/_downloads/edital1797v2.pdf

•Aperfeiçoamento: http://www.ead.fiocruz.br/_downloads/edital1799v2.pdf

 

 
Marcha pela Humanização do Parto PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 
Dom, 16 de Dezembro de 2012 23:41



A Marcha pela Humanização do Parto foi uma grande mobilização estadual em favor da Humanização do Parto e Nascimento, com a finalidade de informar e sensibilizar a população, em especial mulheres, quanto à importância do parto humanizado, sendo uma ação em prol da melhoria da qualidade da assistência da população materno-infantil piauiense.

A Marcha pela Humanização do Parto foi uma iniciativa da Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstetras do Piauí (ABENFO-PI), realizado em parceria com o Ministério da Saúde, Secretaria Estadual de Saúde, Fundação Municipal de Saúde, Conselho de Enfermagem (COREN-PI), Universidade Federal do Piauí, Rede Cegonha, Conselho Estadual de Direitos da Mulher, Diretoria de Política para Mulheres da SASC, Núcleo de Estudo e Pesquisa do Cuidar Humano em Enfermagem - NEPECHE, Sociedade Civil e Organizações Não Governamentais (Ong's).

Todos que participaram estão de parabéns, pelo grande evento realizado, a marcha de fato foi um grande sucesso com aproximadamente 500 pessoas, com grande repercussão na mídia local e exposição de fotos. Tecemos agradecimento especial para o COREN-PI, e para o COFEN, que nos deram um grande apoio e enalteceram esta iniciativa.

 
Ações para Marcha pela Humanização do Parto PDF Imprimir E-mail
Ter, 23 de Outubro de 2012 03:14

Reunião define ações para Marcha pela Humanização do Parto

A Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiras Obstetras do Piauí (ABENFON-PI) realizou na quinta (18), às 11h, no auditório da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (SESAPI) reunião com profissionais de saúde e colaboradores da Marcha pela Humanização do Parto. O encontro tem com finalidade definir um plano de ação e tratar sobre a mobilização entre os profissionais e a comunidade.
Para melhor informar e sensibilizar a população da importância da humanização do parto e nascimento, o Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (COREN), juntamente com a FMS, SESAPI, UFPI, SASC, apoia a Marcha pela Humanização do Parto, que acontecerá no dia 23 de novembro, às 16h, e terá concentração na Praça Rio Branco, no Centro, atrás da Igreja Nossa Senhora do Amparo.
Ter direito ao acompanhante da sua escolha, receber orientação sobre o trabalho de parto, escolher a posição que deseja parir são alguns dos direitos que a mulher tem ao optar por um parto normal. De acordo Lucimar Ramos, enfermeira e presidente da ABENFON-PI, a realidade obstétrica no Brasil e, em especial, no estado do Piauí, continua apresentando dados preocupantes em virtude das altas taxas de cesariana, que no ano de 2011 foram de 52%.
“A Organização Mundial de Saúde sugere que apenas 15% dos partos sejam cesarianos, mas os dados de cesáreas em hospitais particulares representam mais de 90% do total de partos. Assim, aumenta também o índice das taxas de mortalidade materna e neonatal, que em 2011 representou 16,9 e 12,5 mulheres para 1.000 nascidos vivos. Com isso, é necessário que as gestantes e a comunidade se juntem a nós para alcançar uma mobilização pela humanização do parto normal”, explica Lucimar Ramos.
O Governo Federal disponibiliza por meio do Sistema Único de Saúde a Rede Cegonha para as futuras mães ter uma melhor assistência ao pré-natal, parto, nascimento e à saúde da criança. Com uma Atenção Obstétrica e Neonatal qualificada e humanizada, as mulheres têm o direito de acesso ao parto seguro, acompanhante no parto de livre escolha da gestante e ao planejamento reprodutivo.
“Na marcha queremos divulgar o novo modelo de atenção ao parto, que tem como foco a humanização da assistência, bem como mobilizar a sociedade para a importância de eventos como este, que tem como objetivo contribuir para redução das altas taxas de cesarianas e ainda a redução da mortalidade marterna e neonatal no Estado”, destaca a enfermeira e presidente da ABENFON-PI.

 
« InícioAnterior12345678910PróximoFim »

Página 10 de 30

Vídeos

Filme IV ENONEPI

Clique na imagem para tocar

 
Programa Bem Viver (p01)

Clique na imagem para tocar

 
Programa Bem Viver (p02)

Clique na imagem para tocar

 
Programa Bem Viver (p03)

Clique na imagem para tocar

 
Programa Bem Viver (p04)

Clique na imagem para tocar

 
Programa Bem Viver (p05)

Clique na imagem para tocar

 
Programa Bem Viver (p06)

Clique na imagem para tocar

 
PI TV-TV Clube

Clique na imagem para tocar

 
Notícia da Manhã

Clique na imagem para tocar

 
Jornal Agora

Clique na imagem para tocar

Mais Vídeos

Todos os videos...